.................d


16/02/2010


Máscaras...
Usamos tantas vezes...
Houve um tempo em que eu dizia "quem gosta, gosta, quem não gosta...azar".
Tive que mudar um pouco esse meu ponto de vista.
Não deixo de ser quem sou, apenas agora, só me mostro a quem quero e quando quero.
Assim, e como sou obrigada a viver em sociedade e em "boa harmonia", coloco a minha máscara do "está tudo bem".
A nível profissional resulta na perfeição, pois ando sempre bem disposta e ninguém precisa saber como está o meu verdadeiro eu.
O que sinto, só a mim diz respeito.
Nas situações que por vezes nos são impostas e que não podemos dizer mesmo "não posso ir", aí, mais uma vez, a máscara é a solução. Lá estamos, a marcar a presença, a fazer que ouvimos (acenando com a cabeça) o que o tal fulano(a) está a dizer (correndo o risco de ele nos perguntar a opinião e a nossa resposta ser " hein? Ahhh sim, claro, concordo"), e cumprimentar com o "tal sorriso mecanizado" pessoas que nunca vimos na vida.
.
A nível pessoal....
Bem, aí a coisa muda...e é de pessoa para pessoa.
Eu já a usei, por vezes uso...e não posso dizer que nunca mais a vou deixar de usar!
Como? Porquê?
Simples. (pelo menos para mim é)
Resume-se a uma palavra. Protecção.
Agora cada um faz o juízo que quiser....
:)
.
Felizmente temos as pessoas em quem confiamos e que nos conhecem sem a máscara.
Com essas pessoas rimos, choramos, partilhamos...mas acima de tudo...vivemos.
.
.
(Som do Silêncio)

15 comentários:

Pedro Branco disse...

Não gosto do Carnaval. Mas gosto de ti!

Tatiana disse...

Pois é... as vezes usamos máscaras para enganar a nossa dor, ou mesmo para aparentar uma felicidade que ainda não chegou....

Aproveite bastante o restinho do feriado!
Um beijo carinhoso para você!

Angel in the dark disse...

Também já fui um pouco assim, em que usava mais máscaras para protecção; mas ao contrário hoje sou mais como o teu passado, quem gosta de mim tem de gostar por inteiro, com virtudes e defeitos. Já lá vai o tempo em que me silenciava no meu cantinho.
Claro que a nível pessoal é bem diferente, por vezes temos de engolir alguns sapos.
Fica bem minha amiga

Moonlight disse...

Som...

...mesmo que tenhamos que usar mascaras por tantas e diversas vezes,não devemos nunca esquecermos é da nossa natureza...isso é que importa!

Bj com luar

Armando M. disse...

Bem Som...permite-me que te diga "me tiraste -me as palavras da boca".
bj

Luz disse...

Som...
Confesso que nunca fui muito dada ao Carnaval, só se for o de Veneza que encerra em si toda uma história e um contexto de mistério fascinante.
Mas no fundo máscaras, não sei, nunca dei conta de ter usado, por vezes, penso que fiz mal, porque o facto de ser autêntica, por vezes, prejudica, confiamos, damo-nos e depois recebemos um balde de água fria ou, gelada. Sei que a vida tem situações em que talvez o uso da máscara possa facilitar só para que não haja aborrecimentos, tipo, "ok, tudo bem, é assim que queres, perfeito!", mas isto não é nada o meu género. Sou mais tipo quem gosta de mim e me conhece gosta, quem não gostar e nem me conhece, paciência, ainda que a vida nos ensine muito e, há tanto para aprender. Para mim o mais importante é eu saber qual a minha essência, isso sim, basta-me!
Gostei do espaço, já o conhecia e, gosto de ler este som do silêncio, sentir.

Abraço de Luz

joão marinheiro disse...

Entendo-te
abraço salpicado de mar

Sonhadoremfulltime disse...

Olá,
foi através da espaço "mascarado" da minha amiga angels, que ouvi este som do silêncio.
Um belo espaço que não conhecia de todo.
Quanto às máscaras, nem no Carnaval as uso. Não gosto de me mascarar, mas reconheço que por vezes para além de uma protecção, poderá ser bastante útil em determinadas situações.
Concordo com o que diz a minha amiga Luz, muitas vezes por não a colocar-mos acabamos por sofrer na pele por estarmos de face descoberta.

Obrigado

Belinea disse...

Eu sempre fui muito autêntica e genuína. Infelizmente, houve quem fizesse questão de se aproveitar da minha boa fé. Hoje já sou mais previdente e não me dou a conhecer a qualquer um, no entanto ainda não consigo disfarçar totalmente os meus sentimentos e emoções porque sinto que estou a lutar contra a minha natureza. Não obstante, constato que já são poucas as pessoas com quem eu posso ser o Verdadeiro Eu. Bom texto, gostei muito!

;)

Bom fim-de-semana!

sentidointuitivo.blogspot.com

olinda silva disse...

Também não gosto de carnaval.
Uso mascaras para parecer uma mulher segura, mas depois dos 30 prometi a mim mesma, nunca mais fazer favores a ninguém...
Quanto aos amigos, os verdadeiros, com quem nos despimos, sem eles eu não poderia viver. Por isso minha amiga, desejo-te, desejo-me que que tenhamos sempre AMIGOS!!
Um beijo dos meus...

Angel disse...

Olá Simpatica...quer se queira ou não vai haver sempre um momento em que se tem que a colocar...adorei este teu texto...beijinhos com muitos Sonhos para ti...

Sonhos e Devaneios disse...

Minha querida acho que isto que estas a dizer é a defesa que todos nós acabamos por criar , nao tem como ser diferente, para sobreviver nesta selva de pedra que a vida cria temos que usar mascaras para prosseguir a longa caminhada. E no decorrer desta caminhada alguns poucos chegarão a retirar nossas mascaras e compreender melhor as pessoas que somos....estas pessoas são as pessoas especiais...

beijos joao

Filipe disse...

Doce Som

Um texto tão teu, tão cheio de ti, tão cheio de nós.
É por isso que te leio!
É por isso que não consigo deixar de ler-te!
É por isso...

Beijo

variasformasdearte disse...

Lindissimo!
Concordo absolutamente!

Kiss

Edu disse...

bem real, quem nos sabe sem mascara descobre em nos os sorrisos e nos fazem viver.
abraço