.................d


11/05/2007

Polémico

Hoje publico um tema delicado.
E por ser delicado, procurei a pessoa certa para me ajudar.
Ele, que se identifica por AbFabMale :-) é uma pessoa por quem nutro um carinho especial.
Ele não é "diferente"...ele é feliz! Para mim...o mais importante...


Este post é para ti!



GAY versus LESBICA: exclusão VS aceitação.

Porque é que o comportamento social do gay (entenda-se Homem que curte outros homens) e da lésbica (aqui a explicação parece-me óbvia) é considerado, pela massa “associativa” hetero do planeta como sendo uma atitude desviante, demente, abominável, constrangedora e até repelente para tantos no primeiro caso mas, no segundo caso, curiosamente, na mesma massa “hetero” o comportamento lésbico não é visto de forma tão agravada? Curioso heim? Mas já lá vamos.

Este é o exemplo típico do que se passa por aí, nos lares portugueses (salvo as devidas excepções):

Um casal está ver um filme comercial, destes filmes de hoje em dia onde é corriqueiro ver uns tipos e umas mulheres, estrelas de cinema “sério” a beijar, a apalpar e até a comer descaradamente pessoas do mesmo sexo, que também são actores, claro!... No caso de serem dois homens a beijarem-se, é garantido que ninguém vê a cena: “cambada de pan****, mariconços do car****, nunca me enganaram estes dois – diz o “cabeça” de casal já com o comando da DVD a acelerar a cena em grande velocidade enquanto ela diz: “Bahhhhh, que nojo, como é que é possível isto? Ahhh… eles concerteza foram muito bem pagos….(frase sempre acompanhada do tão popular bater das costas de uma mão na palma da outra.)

Agora espantem-se porque se os actores forem gajas, o “cabeça” de casal até deixa pingar a cerveja do canto da boca para o sofá da MOVIFLOR que lhe ofereceu a sogra pelo Natal para aproveitar aquela promoção e ela continua enroscada nele, a imaginar-se ela própria, elazinha mesma lá na cena, no enrolanço com a outra, a transpirar e, pensa ela, a sentir o prazer sublime que jamais sentiu. Aqui é que a porca torce o rabo.

Mas não creiam que este tema é complexo. Nada disso. Querem saber o que é complexo? Complexo é a Biologia determinar a existência de 5 sexos (ou formas sexuais para justificar atitudes) tais como o sexo cromossómico ou até mesmo a absurdo sexo hormonal…. Helllloooooo…. E onde é que está o Fellatio, o Cunniligus, até mesmo o Toque e todas aquelas formas prazeirozas de fazer amor?

Não me venham com tretas de sexos cromossómicos porque o busílis da questão é este mesmo: formas prazeirozas de fazer amor. É precisamente aqui que se encontram as maiores divergências entre heteros e não-heteros. É aqui que as lésbicas percebem do assunto como ninguém. É aqui que os gays sabem exactamente até onde podem ir e basta sempre e apenas uma troca de olhares.
E tudo isto acontece desta forma tão consciente porque se passa entre pares, entre pessoas exactamente iguais entre elas, onde a força não prevalece porque é igual nos dois extremos, onde não imperam os macho ou fêmeas ALFA porque o amor físico entre duas pessoas tão iguais não precisa ser competitivo. Ahhhh…. E não esqueçamos que o grande objectivo que move sociedades e que dá pelo nome de PROCRIAÇÃO, entre iguais, não está presente nem em sonhos.

Na verdade, é neste cenário íntimo ao qual não temos acesso que as grandes diferenças entre pessoas de orientações sexuais diferentes das comuns existem já que na rua somos todos iguais. Não vou aqui discutir diferenças comportamentais pois estas são explicadas das mais variadas formas e têm por origem os mais diversos factores. A verdade é que todos levamos as nossas vidas para a frente, independentemente do que fazemos na nossa intimidade e seja com quem for: uma coisa não condiciona todo o resto.

Podem tentar-se muitas explicações, dissertações, até mesmo filosofar sobre o tema mas é tão normal filosofar dado que nunca se chegou a conclusão nenhuma que o melhor mesmo, e salvo melhor opinião, é olhar para as coisas com olhos de ver.

Dois homens enrolados um num outro, por exemplo. Para quem está de fora é um comportamento condenável. Mas quem somos nós para condenarmos os comportamentos alheios. Acaso nos julgamos isentos, aos olhos dos outros, de atitudes menos nobres? Haverá alguém que se julgue tão perfeito que se possa dar ao luxo de ostracizar, condenar um seu semelhante apenas porque se veste de maneira diferente, porque pratica outra religião ou, neste caso, porque tem uma orientação sexual diferente da maioria?

Mas o engraçado é que o mesmo não acontece se forem duas mulheres. E sem precisarmos de imaginar duas mulheres, nuas, numa cama, o que já por si só será suficientemente excitante para alguns para deixarem neste momento de ler este post, não chocará tanto os e as restantes como dois homens. E porque será? Estará de alguma forma geneticamente relacionado com o facto de termos sido, em tempos idos, sociedades predominantemente matriarcais (sim, tornámo-nos patriarcais desde aproximadamente 2000 anos, sabiam? Porque será?). Que condicionantes terão sido implantadas ao longo destes anos para olharmos para coisas tão semelhantes de perspectivas tão divergentes?

Tudo isto não é novidade e por mais abanemos com a cabeça em sinal de concordância, o certo é que a cariz católica tão enraizada na nossa cultura, não nos deixa abrir os olhos a outras perspectivas e permitir-nos ver que, apesar de estarem ali dois homens, são pessoas iguais a tantas outras, que comem, bebem. Que amam, trabalham, pagam impostos e quando morrem, também têm direito a um funeral sem nenhuma anotação particular na lápide como – Ao MANUEL (que era gay), com saudade das amigas e família. Nada disso. Se na morte somos iguais porque insistem em rotularmo-nos em vida?

Na verdade e no fim de tudo, os comportamentos desviantes não são aqueles tão apontados como tal mas sim todos os outros que sonegam as liberdades de cada um em prol da “carneirada” mundana e pequenina que somos todos nós.

Até breve.
AbFabMale
Obrigada "Nino"

16 comentários:

Fofa disse...

Somos todos iguais, independentemente da raça, género, orientação religiosa ou sexual.

Eu só posso aplaudir, em pé, este post!!

Parabéns, Som!!

Cinza disse...

A mente humana não consegue ser livre ... haja som para essa luz...

louca consciente disse...

Grande acto de coragem Som do Silêncio!
Não só de coragem como de amizade.
Fantástico post.

Jose disse...

Aplaudo de pé este texto.
Mas fiquei muito chatiado, porque lança o tema e praticamente deixa-me sem argumentos pela sua opinião que vem ao encontro da minha.

Assim não vale.

Um beijo miuda apaixonada.



Jose

p disse...

tenho muita pena que não tenhas respeitado a minha opinião,apagando o meu comentário.

podes discordar,mas tenho direito a ela...

DDivinal disse...

uma coisa...

isso das lésbicas serem melhor vistas que os homens homossexuais... bem...

pelos homens e o seu fetiche do harém que sinceramente há tanto tempo que tento compreender e não consigo... se alguém souber...

de resto, não apoio porque seria discriminação positiva não condeno porque seria discriminação negativa. sejam felizes!!! como quer que seja...

e já agora a este respeito... que dizer daquelas gentes e mente muito aberta que dizem:

"eu não tenho nada contra "eles" quero é que sejam felizes... comam-se façam o que quiserem... mas longe de mim!"

»» tipo...

e aos puritanos do não é natural... heeelllp

DDivinal disse...

upsi xqeci-me q era um coment e não um post... sorry

Azul disse...

Olá Som do Silêncio!

Dou-te os meus PARABÈNS por este post!

Fez-me lembrar um grande amigo que também ele não é "diferente" é muito feliz...

Adorei o post.

Beijinho
Azul

Som do Silêncio disse...

Não tenho por norma fazer comentários no meu blog, mas desta vez é necessário.
Todos, e repito, todos têm a sua opinião, apenas acho que existem maneiras e maneiras de as expressar.
Ao "p", sim, apaguei o comentário apenas por causa do vocabulário utilizado. Era escusado, podias dizer apenas que não concordavas.

Apeteceu-me de facto escrever um post sobre o tema, pois todos os dias ouvimos " ahhhhh...e tal, encaro essas cenas na boa, desde que não seja comigo" mas depois não encaram tão bem quanto isso.

Mais poderia dizer, mas fico-me por aqui.

João Cordeiro disse...

Amiga,
sou homem tenho 48 anos e felicito-te pala coragem demonstrada com este post.
Parabéns por o teres feito.
Concordo contigo e chega de mentecaptos.

Obrigada igualmente pelos comentários ao meu texto.

Beijinho sonhador

Thiago Forrest Gump disse...

Realmente um post polêmico!

Mas muito bem formulado!

abfabmale disse...

Só uma nota.... porque é que toda a gente te dás os parabéns pelo post e ninguem refere o desgraçado do Abfabmale que suou a potes para escrever estas linhas???? - lolada

Tou a brincar. Ainda bem que o colocaste e adorei o teu comentário à minha pessoa: Diferente mas feliz. Acertaste na muche (ou será muxe?). Beijos amiga

Brain disse...

Som do Silêncio,

Eu não te vou dar os parabéns pela coragem, ou algo no género.

Eu vou ao invés disso, expressar a minha admiração, agora ainda mais reforçada, por ti.

E agora frontalmente te digo:

Não sou demagogo ao ponto de dizer, que a mim, me passam indiferentes situações como estas.

Mas aceito-as e convivo com elas na perfeição, tornando-as assim naturais.

Não vou dizer que não concordo ser diferente quando vemos lésbicas ou gays. Mas penso que se calhar (e pela minha experiência) quem mais condena as lésbicas são as mulheres e quem mais condena os gay's são os homens.
No entanto, vejo reacções mais radicais por parte das mulheres.

Independentemente de tudo, como sempre eu digo:
"Normal" é cada um ser ele próprio, seguindo a sua consciência, pensar e paixões.
No fundo, normal é cada um ser fiel a si mesmo! E quantos dos intitulados "normais" deste mundo, não o são em quase nenhum aspecto da sua existência...

Silêncio, um beijo especial para ti.
AbFabMale, um grande Abraço.

sonhadora disse...

Excelente post!deliciei-me.
Quando o crepúsculo desce e a noite cresce, o sonho faz-me suspirar.
Beijinhos embrulhados em abraços

Entre linhas disse...

Ser diferente nas suas opções sexuais não é sinónimo que seja diferente como ser humano,apenas uma questão de respeitar cada um.

Porque afinal no campo laboral são contribuintes como nós,não devem ser julgados pelas suas opções sexuais na vertente da negatividade.
É de aplaudir as pessoas que se assumem.
Boa semana
Bjs Zita

Isabel disse...

Gostei muito deste texto e do tema que aborda.
Vim aqui porque me chamou a atenção o teu nome " Som do silêncio", no blog do Brain, que eu muito admiro, porque o som do silêncio é um dos meus sons preferidos

Este tema que eu tambem abordo num livro com vou escrevendo por capitulos no meu blog é algo para o qual é necessário de uma vez por todas alertar as mentes.
Principalmente as daqueles que se consideram muito sensiveis, cultos e abertos e depois não se cansam de com insultos, e faltas de respeito de todos os géneros, mostrar o quão pouco cultos, sensiveis e abertos são na realidade.

Confesso que não considero nenhum grande acto de coragem este tema pois para mim ser gay ou lesbica é igual a ser branco ou preto ou amarelo, ser de esquerda ou de direita, ser careca ou ter cabelo, ser alto ou baixo e por ai fora... é apenas uma caracteristica ou uma opção.

Acho lamentável principalmente que os homens achem tão nojento a homosexualidade e tão erótico o lesbianismo.

Gostei muito do teu blog e visitar-te-ei certamente mais vezes.

Isabel