.................d


28/05/2007

O sítio

Era uma vez um jardim.

Um jardim muito bonito.

Nesse jardim passeei vezes sem conta, sentia-me já parte dele, pois nele passei horas sem fim, onde toda a paisagem já fazia parte do meu dia a dia.....excepto um sítio.

Vou dar-lhe mesmo o nome de "sítio".

Naquele sítio existiam umas flores que teimavam em não desabrochar...

Água...adubo...e nada.

Eu sentia que aquelas flores eram lindas, mas não conseguia fazer nada...

Todos os dias eu ía para o sítio na esperança de ver algo novo, mas não.

Pensava no que poderia faltar mas nada me ocorria, e elas ali, a olharem para mim como que à espera que eu as salvasse.

Os dias passavam...passavam....

Um dia, estava eu sentada no sítio. Por algum motivo sentava-me sempre lá.Pensava na minha vida...e uma lágrima correu pela minha face.

Lágrima essa que com a ponta do meu dedo coloquei em cima das flores...

Quando olhei, vi algo belo demais. Elas estavam em flor.

Percebi então, que o que elas precisavam era não só de companhia...mas de amor, carinho....como eu!

Nunca mais aquelas flores murcharam.

(Som do Silêncio)

10 comentários:

Fallen Angel disse...

Feliz pelas flores... triste pelas lágrimas que as impedem de murchar...

Murcharás tu para as preservar?..

Beijo-TE

Brain disse...

Nada pode florir,
À custa das nossas lágrimas!

Concordo com o fallen angel.

Sei também que a ideia não será exactamente essa,
Mas arrepia-me a ideia que assim possa ser...

De qualquer forma,
Gostei do escrito!

Beijo.

Azul disse...

Olá Som do Silêncio!

Nem sei que te diga... Adorei o teu "Sítio" mas... lágrimas tuas para que essas flores possam florir?! Tenho a certeza de que todo o carinho e amor que tens chegará para que elas sejam lindas e cheias de cor. E se chorares, chora de alegria por as veres florir por isso...

Beijinho
Azul

Fofa disse...

Olá Som!

As lágrimas que mais facilmente me correm pela face são as que brotam directamente do meu coração: plenas de amor, ternura, de momentos únicos e felizes!

E sabes, são essas lágrimas que me dão vontade de cuidar ainda mais do meu jardim e me enchem de alegria, quando o vejo repleto de flores e borboletas!

Que o teu jardim tenha sempre a melodia das tuas palavras: um hino ao amor!!

Bjo fofo!

Pedro Branco disse...

De que vale um jardim feito de lágrimas? Onde ao passar se sentem os aromas da saudade e do sofrimento? Em que cada pétala encerra uma história de encantar sem vitória? De fontes que jorram os desejos e os deitam ao abandono? Nas palavras que cobrem os sonhos com as cores imparáveis da fantasia?

Vales tu.

A.S. disse...

Por vezes as lágrimas são precisas para que tudo renasça e se renove, tal como as pétalas coloridas de cada flor! São a seiva da ternura e do carinho!


Um terno beijoo

Ana disse...

Beijos, ó boua! ;)

Carolina Santos disse...

Olá Som do Silêncio!

Só alguém como tu para fazer renascer uma vida!
Nem todos têm o mesmo coração que tu.
Só que tem lê é que entende isso.
Bem haja!

Carolina Santos disse...

O que eu queria escrever era "só quem te lê" e saiu mal.

Beijo

Luís Galego disse...

Percebi então, que o que elas precisavam era não só de companhia...mas de amor, carinho....como eu!


Pois, quem não precisa? Belo texto...