.................d


03/05/2006

Má Mãe



Um dia, quando o meu filho for crescido o suficiente para entender a lógica que motiva uma Mãe, eu hei-de dizer-lhe:

*Eu amei-te o suficiente para ter perguntado: onde vais, com quem vais, a que horas regressas a casa.

* Eu amei-te o suficiente para ter insistido que juntasses o teu dinheiro e comprasses uma bicileta, mesmo que eu tivesse possibilidade de a comprar.

* Eu amei-te o suficiente para ter ficado em silêncio, para te deixar descobrir que o teu amigo novo não era boa companhia.

* Eu amei-te o suficiente para te obrigar a pagar a pastilha que "tiraste" da mercearia e dizeres ao dono: " Eu roubei isto ontem e queria pagar".

* Eu amei-te o suficiente para ter ficado em pé, junto de ti, 2 horas, enquanto limpavas o teu quarto ( tarefa que eu teria realizado em 15 minutos ).

* Eu amei-te o suficiente para te deixar ver: fúria, desapontamento e lágrimas nos meus olhos.

* Eu amei-te o suficiente para te deixar assumir a responsabilidade das tuas acções, mesmo quando as penalizações eram tão duras que me partiam o coração.

* Mais do que tudo, eu amei-te o suficiente para te dizer NÃO quando eu sabia que me irias odiar por isso.

Estou contente, venci. Porque no final, tu venceste também. E, qualquer dia, quando os teus filhos forem crescidos o suficiente para entenderem a lógica que motiva os PAIS, tu irás dizer-lhes quando eles te perguntarem se a tua Mãe era má....." que sim, era má, era a Mãe pior do mundo":

* Os outros míudos comiam doces ao pequeno almoço, eu tinha de comer: cereais, tostas, leite.

* Os outros míudos bebiam Coca Cola ao almoço e comiam batatas fritas, eu tinha que comer sopa, o prato e fruta. E não vão acreditar, mas a minha Mãe obrigava-me a jantar à mesa, bem diferente das outras mães também.

* A minha mãe insistia em saber onde eu estava a todas as horas, era quase uma prisão.

* Ela tinha de saber quem eram os meus amigos e o que nós faziamos com eles.

* Eu tinha vergonha de admitir, mas ela violou as leis do trabalho infantil. Eu tinha de lavar a loiça, fazer a cama, aprender a cozinhar, aspirar o chão, esvaziar o lixo e todo o tipo de ttrabalhos cruéis. Eu acho que ela nem dormia a pensar em coisas para me mandar fazer.

* Ela insistia sempre comigo para lhe dizer a verdade, e apenas a verdade.

* Na altura em que era adolescente, ela conseguia ler os meus pensamentos. A minha vida era mesmo chata.

* Enquato toda a gente podia sair à noite com 12, 13 anos, eu tive que esperar pelos 16 anos.

* Por causa da minha Mãe, eu perdi imensas experiências da adolescência. Nunca estive envolvido em: roubos, droga, actos de vandalismo, violação de propriedade, nem preso por nenhum crime. Tudo por causa dela.

Agora....que já saí de casa, sou adulto, honesto e educado, estou a fazer o meu melhor, para ser " Mau Pai", tal como a minha Mãe foi.

6 comentários:

Alexandre disse...

woooww...que bonito :)

Pekika disse...

Cá pra mim se isso é ser má Mãe - abençoadas sejam as mães assim ó !
Eu sempre fui apologista de ke qto mais "duro" melhor - e na comeces a pensar noutras coisas ke tou séria ! ;)

Adorei ! Sabes ke tb na sou de vergar nos principios ke tenho e vai em frente melher. Só tenho pena de na ter a idade do teu filho. O gaju vai ser um Homem como ja na se fazem !

Beijokasssssssss

PiresF disse...

Bem... que dizer deste maravilho texto... ocorre-me que é uma lição extraordinária, porém, difícil de seguir à risca, mas que contém uma série de princípios primordiais de como se deve educar.
Excelente, quer tenhas sido essa mãe ou gostasses de o ter sido. Confesso, que não segui essa cartilha, a minha incapacidade para me impor foi por diversas vezes notória, felizmente até agora, os meus filhos tiveram a sorte de seguir alguns conceitos de vida, que sempre foram ouvindo e foram ficando.

Voltarei com mais tempo, para ler lá para baixo e desejo-te desde já, longa vida na blogosfera.

Um abraço.

boleia disse...

é bem verdade...
tão verdade!

Papa-figos disse...

boa ! tb sou um desses maus pais, espero.

1 abr

Tit disse...

Obrigada por este texto... gostei muito.
E obrigada também pela visita lá ao meu Canto do Vento ;)