.................d


08/12/2007

Um dia, outro...e mais outro...
As horas deixaram de parecer infinitos dias como antes eu sentia...
Seguras de si, caminham em frente, sem piedade, sem olhar para trás.
Se ao menos me dessem algo, um sinal, um aviso...alguma coisa...
Mas não! Passam por mim apenas...com um sorriso maquiavélico onde transparece a satisfação de saber que não vens...
Já não choro...as minhas lágrimas secaram, mas olho para elas e demonstro que ainda acredito.
Gargalhadas ficam marcadas na sua passagem, chego mesmo a sentir raiva!
Porque não vens?
Preciso tanto do teu olhar, do teu sorriso, de te dar a mão....
A saudade é tanta que me sinto a rasgar por dentro!
Olho de novo para a porta na eminência de a ver abrir...imagino a tua entrada, o doce beijo que tantas vezes trocámos...e perco-me de novo na ilusão dos meus pensamentos....
O tempo passa....vejo algo de novo ao longe.
Mais uma hora vem a caminho denunciando o final de mais um dia...
Vem sedenta de sarcasmo, rindo alto para eu sentir bem a sua presença. Passa por mim e olha-me de forma gélida mas com um sorriso cínico. Diz-me apenas uma frase...."mais um dia, não é?"....e segue o seu rumo.
Quero responder, dizer que é menos um dia que falta para voltares, mas não consigo. Ela percebe, e sem dó nem piedade diz-me "volto daqui a uma hora".
Quero dizer-lhe que a odeio...mas no meu intímo sei que tem razão....respondo "até daqui a uma hora, então"....

(Som do Silêncio)

13 comentários:

FERNANDA & SONETOS disse...

Olá amiga, tem esperança, dias melhores viram.
Bom fim de semana.
Um grande abraço de carinho.
Fernandinha

marias disse...

"Já não choro...as minhas lágrimas secaram, mas olho para elas e demontro que ainda acredito"

Todos nós já choramos!...depois de tanto chorarmos, como dizes, as lágrimas secam...só é preciso que não deixemos secar o coração.

Sei que tens um lindo coração que está aí cheio de amor para todos.
È preciso acreditar, eu ainda acredito!...

Li algures num livro infantil:
"Para vencer o medo, é preciso acreditar no poder do amor; preciso de ter coragem e muita força de vontade; quero, ainda, viver em permanente estado de amizade."...
...e então empurrou o medo que habita em cada um de nós...
...empurra essa hora sarcástica para bem longe de ti e acredita no poder do amor.

Beijinhos.

*Já respondi ao teu desafio.

oArtista disse...

E como são longas essas horas, maquiavélicas, que nos apunhalam e com prazer torcem e retorcem trazendo dor quando pensávamos que não poderia doer mais.
Apesar de sabermos que a vida continua depois, que have´ra novamente dias de sol...é a chuva e o nevoeiro denso que nos acompanha agora...que se entranha e não nos deixa esquecer...
Um beijo terno de quem leu e se viu retratado...

Pecadormeconfesso disse...

Novamente o tempo de mal connosco.

Maria disse...

Hoje não tenho palavras.
Apenas um beijo...

Alquimia disse...

Ausência. Saudade. Dor. Lágrimas. Como eu te compreendo...

Beijos.

MIMO-TE disse...

Como te conheço.... apenas digos Belo texto! :)

Beijo e miminhos meus

lurainbow disse...

Experimenta a ter SAUDADES de ti propria , serio vais ver que ao te encontrares seras muito mais FELIZ :))

Beijinhos cheios de COR

M@ri@ disse...

Ola linda amiga

Saudades do amor...
sei o que sentes...
Desejo te um bom começo da semana.
deixo te um big kiss
xoxoxxx
M@ri@

Azul disse...

Bom dia Linda!

Contam-se as horas, os minutos numa espera que nos consome...

Mas sei que acreditas... :)

Beijinho
Azul

Oliver Pickwick disse...

Olá, Som do Silêncio! Gostei das sensações impregnadas neste mini-conto meio-versos-em-prosa. Tão cotidianas, e nem por isso menos belas.
Li, também, os outros posts, as poesias, os versos curtos.
Voltarei sempre.
Tenha uma ótima semana!

E, se não se importar, estou levando esses para ler em casa:
"Soubesse eu que me querias...
Vestia-me com a sedução..."

MADRUGADA... disse...

Por vezes é na redenção das coisas que nos oprimimos pelas mesmas.

Gostei muito.

(*)

Beijo.

Siala ap Maeve disse...

Dizem que o tempo é aquilo que fazemos dele...mas eu também ando avariada com o relogio. As horas passam por mim a arrastar-se quando devem correr, e passam a correr quando deviam parar...
Bjos de quem entende