.................d


05/11/2007

A mais velha profissão do Mundo....

Sou mulher da vida!
Assumo...Vendo o meu corpo numa esquina ou em qualquer rua! Onde calha, não me faz diferença...não quero saber!!

Uso e abuso da pintura e roupas para chamar a atenção...Por dinheiro, faço de tudo um pouco, basta o cliente pedir...
Tratam-me da pior maneira, e o mais ridículo é que aceito tudo em troca de uns meros euros. Mas esta é a vida que escolhi...a mais errada mas a mais fácil!

Na sociedade nada sou como gente, apenas alguém a quem apontam o dedo...alguém que se vende! E é verdade! Já estou habituada...
No corpo tenho marcas que contam a minha vida...a minha história. Confesso que tive alguns momentos de prazer, mas outros pura violência...afinal...o que sou? Um corpo usado, massacrado, enxovalhado...um corpo viciado! Mas sei o que sou!
Uma puta...apenas isso! Socos, pontapés, violações fazem parte do meu dia a dia, mas não consigo sair...e chego mesmo a questionar-me se quero.

Sei que sou boa no que faço...mas o que faço? Sou um bocado de carne que mente quando geme, que chama de amor todos os que por mim passam, que grita e implora que me chamem de puta devassa, mas que por dentro sinto-me rasgada...vazia principalmente!

As minhas lágrimas já secaram faz muito tempo, por isso fecho os olhos e deixo que o vai-vêm de quem está comigo e dentro de mim, seja apenas mais um momento onde nada sinto, onde nada sou...apenas objecto de alguém...

A entrega é falsa, mas lucra.
O prazer é falso, mas dá-me o que quero.
No final, o meu sorriso é uma mentira, não existe, apenas conto o prémio que tive, e preparo-me para seguir com outro...e mais outro...e mais outro....
No compasso de espera entre um cliente e outro, acendo um cigarro na esperança de ter um momento só meu, onde me possa encontrar a sós com o meu pensamento...Os meus pensamentos...que nem os consigo colocar em ordem! Nem vale a pena...
Entre uma passa e outra...outro homem olha para mim, come-me com os olhos, enoja-me...mas digo..."para ti lindo, o que vês é para ti. Anda!" Tenho cliente...
Os meus pensamentos ficam para segundo plano...e dou continuidade à minha profissão. Sim...sou uma puta!
Nota:
Tendo em atenção que alguns de vós por vezes me questionam sobre a veracidade dos meus textos, quero deixar claro que este texto é apenas e só a minha visão sobre o tema em causa.

(Som do Silêncio)

19 comentários:

Oliver Pickwick disse...

É um tema difícil, muito explorado, e com alto risco do texto derivar para o lugar comum.
Contudo, você soube manipulá-lo, montar o enredo, e apropriadamente descrevê-lo como prosa em versos.
Gostei, também, das outras poesias, entremeadas de romances e doce sensualidade.
Você tem o dom do equilíbrio.
Voltarei outras vezes para ler mais.

Poeta da Lua disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Poeta da Lua disse...

azul, por quê?!
me diz...

Arcanjo disse...

Difícil... mas real... intenso... verdadeiro!!!

Beijos***

B'Araújo disse...

ha temas susceptiveis de receber enormes reacções, sem duvida este é um deles.

nao me questiono se sao testemunhos reais ou imaginarios, nem tao pouco procuro saber...

muitas vidas sabem do q este tema aborda, muita ignorância tambem acompanha o tema da prostituição...

apanha muitas faixas etárias e muitas classes sociais, ha alguns casos que ate é pelo verdadeiro prazer, acreditem, mas nao levem esses casos para a estrada ou para bordeis, por explo, é um outro estilo que nao se coaduna com muitas das historias q se ouve no dia a dia e n se pense q é so pra mulheres.

um tema actual... sempre actual...

parabéns, pela coragem de ser mal interpretada, é um risco q por vezes vale a pena correr.
parabéns, pq transportas para as tuas palavras um estilo de vida q por vezes e dificil de entender...

Rui Caetano disse...

O texto é belíssimo, aborda uma temática complicada mas real, muito real. parabéns pelo forma como visonas o mundo. Para ti, o mundo não te é indiferente.

emma disse...

Fazendo uso das palavras já usadas, o tema é complexo, difícil, marginal e, como tal, ainda redeado de tabus. Apesar de achar que poeticamente está tremendamente belo, acho que social, moral e humanamente niguém que vive desta forma terá o condão de a descrever de forma tão crua, por mais paradoxal que estas minhas palavras possam parecer. A vida de uma prostituta (esta, do texto), ficcionada mas voluntária - segundo comentários da propria personagem - nada tem de belo mas, romanticamente falando, não é forçoso que seja tão violentamente avassaladora.
Continua unificadora de palvras minha amiga que ainda te verei ir longe. Beijos

Késia Maximiano disse...

E no fim as pessoas sempre esqcem de olhar os outros como gente! Gente q erra, vive, cai, levanta, sofre... Mas continua gente...


Bjão...
Ótimo texto..

Rafeiro Perfumado disse...

Não é assim uma profissão tão má, há muitos casos em que as joves se tornam escritoras e tudo! ;)

JOSÉ NEVES disse...

Uma visão perfeita da realidade, magnífico texto.

Parabéns pela tua sensibilidade.

Abraços.

MIMO-TE disse...

Belo texto Som, como sempre :) disses-te tudo, nada falta dizer.

Beijos linda

suruka disse...

Olá SOM do SILENCIO.
Acabei de ler.

Vou dizer o que penso e sinto,sendo sincero e espontâneo como é habitual.

Sobre " o tema " é este um dos textos mais " belos " que já alguma vez li.

Nota-se a sensibilidade que te povoa a mente e espírito.

Levaste-nos ao interior de uma MULHER que apesar da VIDA QUE LEVA é uma PESSOA com sentimentos e sofre como todo o ser Humano.
E podia ser minha irmã.

De parabéns como sempre
estás TU.

bjs.

Maria disse...

Olá querida Som do Silêncio

Ainda estou a pensar no que acabei de ler.
Voltei a ler-te, e acho que não é a "vida mais fácil"...
... mas é a que se quer, como dizes...
Dou-te os parabéns por este post, que aborda um tema ainda tão "à margem"... mas que está bem descrito...
Depois deste não vou ler mais nenhum blog. Porque o teu texto continua a "martelar-me2 a cabeça, acho que me vou deitar.

Beijinhos, linda

Pecadormeconfesso disse...

Passei e li.
A forma como vês esta realidade é dura como a propria realidade.
Passaste no meu blog e não leste. Tinhas um desafio.

Paula disse...

Pode ter o nome de "puta", mas não deixa por isso de ser uma criatura humana!
E, sem preconceitos, não devemos julgar ninguém... senão também teríamos que por na balança da ética aqueles que desfrutam dos seus serviços.
Uma coisa é certa.. de ambos os lados existe a instrumentalização do corpo humano... e isso dá que pensar, uma vez que supostamente a raça humana seria caracterizada pela autonomia e respeito por si mesma.
O sexo deveria sempre dar-se... nunca vender-se...

Abraço

Parabéns pelo blog

O Profeta disse...

Alva pena transporta as mágoas
Rasga as águas e desalinho
Grito de gaivota, dança de amor
Penas choradas em tom baixinho


Boa semana


Mágico beijo

Mestre disse...

Uma escolha de vida?..nem sempre...
Um tema complicado, pessoas apontadas a dedo...
E quem somos nós, que escondemos os nossos pecados atrás das cortinas espessas das janelas das casas onde moramos para questionar algo?
Um beijo pela coragem da escolha do tema. E um beijo meu, terno.

Shelyak disse...

Foi com uma muito profunda e sentida admiração que li esta tua reflexão sobre um tema sempre tão actual...
Sinto-me revoltado quando vejo a forma como, em regra, a Mulher, quando nessa profissão, é tratada...:(
Um beijinho solidário...

Bia disse...

Passo por aqui muitas vezes, no meu silêncio, gosto de Te ler, normalmente não comento, pois falas de amor e muita paixão, escreves bem que se farta... mas o meu coração está fechado para obras...
Agora passei e li um texto maravilhosamente escrita por ti, a tua visão da vida de uma "puta", e sabes que estou arrepiada até agora, as lágrimas bailaram nos meus olhos e olha que eu sou uma Mulher que não chora por qualquer coisa, mas as tuas palavras fizeram-me sentir bem cá dentro a tristeza que é a prostituição e a dificuldade dessas mulheres em saírem dessa vida, o corpo, as palavras, o nojo e sempre de cara alegre o que vale são os euritos ganhos no final do dia ou noite...
Queria só acrescentar que elas apesar de tudo são assumidas, são putas, são pagas para dar o corpo, no meio desta podridão ainda consigo ver a honestidade e saberem que o são e de o dizerem...
Mas para mim as verdadeiras putas e as que me enojam mesmo, são as dissimuladas, aquelas que querem apenas os mesmos Euros... dão-se na mesma em troca de outra coisa qualquer... e essas não são sequer honestas com elas nem com os outros.
Há várias formas de prostituição...
Mas a Tua descrição foi excelente mexeu bem cá dentro de mim.
beijo meu